sábado, 12 de março de 2016

Tomás o desafiador

E chegamos à fase do desafio. Tudo serve para nos desafiar. A hora do banho, da comida, todas as brincadeiras... tudo!
As rotinas diárias que fazia com tanta facilidade, agora são um tormento. Quer fazer tudo à sua maneira. Se o contrariamos ele não chora, ele berra.
Mas o pior de tudo é na rua. Deixou de nos obedecer e isso assusta-me. De repente já não quer ir de mão dada e foge. Fico com muito medo destes momento dele...
Nem sei se esta "rebeldia" toda veio pela idade ou se veio pela noticia da mana... mas não podia vir em pior altura. Ando sempre cansada e a minha mobilidade para correr atrás dele não é a mesma, já para não falar na dificuldade que tenho em lidar com a restante situação... tento falar com ele, mas parece que sou ignorada e fico frustrada. Não o colocamos de castigo, mas tentamos privar das coisas que mais gosta para perceber que se portou mal. Não sei e a melhor estratégia, mas foi a que encontramos.  Espere que passe rápido...
Alguém que esteja a passar ou tenha passado por esta fase, recomendações precisam-se!!

3 comentários:

  1. Andamos numa fase parecida... tão cansativa esta fase das birras!

    ResponderEliminar
  2. A Nuria iniciou com a fase desafiante aos 3 anos de idade. Sem saber muito bem como lidar com esta situaçao,acabava sempre por me render de cansaço e ceder aos seus caprichos. Rapidamente me apercebi que as "birras" aumentavam e decidi reagir. Optei pelos castigos,de nada adiantou.... pois como ser observador,apercebeu-se que em publico eu reagia de forma diferente. Apos 3 ou 4 vergonhas publicas, a exaustão falou mais forte. Decidi novamente mudar de estrategia. Comecei a ignora-la nos momentos dos seus "ataques de furia". Sempre com olho atento mas de forma que ela nao desse conta, ignorava e repetia continuamente que nao a entendia e que teria que se acalmar para poder conversar. Acalmava ao colo,so depois conversavamos e eu nao cedia. Por vezes demorava longos minutos e eu tinha sempre as minhas rotinas contadas... mas tinha de levar a cabo esta nova estrategia... Em casa num momento relaxado, voltava a tocar-lhe no assunto e tentava negociar com ela um castigo justo de acordo com a gravidade do desafio. No inicio ela nao ouvia e desvalorizava, mas eu fazia questao de finalizar o assunto como combinado. Finalmente apos 3 ou 4 vergonhas publicas a Nuria entendeu que os gritos e as birras nao lhe adiantavam de nada. Hoje com 5 anos ainda me desafia em casa e permaneço com a mesma estratégia da indiferença até que ela me chama no quarto para "conversar" 😕
    Nem todos os dias é facil suportar e negociar por motivos alheios ao stress da rotina diaria mas permaneço firme na esperança que um dia acabará por ter os seus frutos. Coragem e boa sorte! Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mónica muito obrigada pela partilha! É sempre bom ouvir a experiência dos outros para nos orientar e ajudar! E haja paciência... muita paciência para nós todas! lol beijinhoos***

      Eliminar