sábado, 2 de fevereiro de 2013

Saga da amamentação parte 1... e tal e tal

O meu processo de amamentação ao Tomás não foi, nem esta a ser nada fácil.
Com ida do Tomás logo à nascença para a Neo fez com que eu só pudesse oferecer a mama ao meu filho 4 dias depois de ele nascer. Ou seja, foi comprometer todo processo logo desde o inicio.
Ao segundo dia comecei a estimular com a bomba mas não saia quase nada. Só efectivamente quando lhe comecei a oferecer peito é que começou a aumentar. Parecia que ia sair rios e rios de leite para a maneira como ficaram os meus peitos na subida de leite, mas na verdade só tive bastante leite durante um dia. No dia seguinte parecia que se tinha ido todo embora e o Tomás deixou de ficar satisfeito só com a mama e teve de se dar suplemento de leite artificial no fim da mama. E tem sido assim desde essa altura.
Com o tempo veio outra coisa muito má, as gretas. O verdadeiro terror. Hoje, felizmente parece que estão melhor, mas parece também que o leite é cada vez menos porque o Tomás bebe cada vez mais suplemento.
Fico triste porque gostava muito de poder amamentar o meu filho em exclusivo do meu peito, mas também não é o fim do mundo e depois do que passamos é mesmo o menor dos problemas.
De qualquer das maneiras enquanto houver, nem que sejam só umas gostas, eu vou dando.
Agora, nesta "guerra" tive aliados muito bons. Deixo-vos aqui os meus aliados na amamentação:

 (Purelan para prevenir gretas. Apesar de ter ganho gretas num mamilo continuo a por bastante pois é bastante hidratante)
 (Mamilos de silicone. Teve mesmo de ser porque tinha imensas dores. O Tomás não agarra tão bem, mas vai-se habituando.)

(Discos calmantes de hidrogel. Quando estava mesmo aflita punha durante a noite em vez dos tradicionais discos e aliviava bastante.)


(Conchas colectaras de leite. Não usei propriamente para colectar leite, visto o meu ser tão escasso. Mas sim para o mamilo não estar em contacto com a roupa e poder apanhar ar.)

(Por fim, a pomadinha abençoada que punha entre mamadas para ajudar a reparar os mamilos)

A Purelan é muito boa porque podemos por e dar directamente a mama ao bebe que não lhe faz mal. Já a
 Cicalfate tem de se lavar bem o seio antes de dar ao bebé.
As duas pomadas são muito boas e tem propósitos diferentes. A Purelan é para prevenir gretas, a Cicalfate é para reparar gretas já existentes.


4 comentários:

  1. Nem sempre tudo corre como queremos ou planeamos, mas enquanto te sentires bem a amamentar fazes bem em fazê-lo. Amamentar é mesmo uma questão de oportunidade e o facto de teres estado privada de o fazer nos primeiros dias de vida do teu Tom´´as também dificultou muito. Uma coisa é certa, quanto menos ele estimular, menos produzes. E podemos ter as mamas muito duras e cheias e quase nada sai por estarem demasiado tensas, passei um mau bocado nos 1ºs dias da subida e algumas dias e outros mais tarde, mas depressa conheci o meu organismo e ainda hoje amamento o G, as mamas ficaram pequenas e não é por isso que não tenho leite, basta apertar um pouquito o mamilo e tenho leite, e muitas vezes só lhe dou um pouco uma vez por dia. posso dizer que tive sorte por tudo ter corrido bem neste aspecto. Mas é como tu dizes, tendo em conta o que o teu pequeno passou não é por não ser amamentado em exclusivo que não deixará de crescer e ser um menino saudável, eu por exemplo, como tantas pessoas, não fui amamentada pela minha mãe, no entanto eu fi-lo por insistência minha e também porque o meu organismo ajudou.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Pensei que ia escapar às gretas mas já tenho uma e dói tanto! Esse creme da avéne não faz mesmo mal? eu tenho o purelan mas hoje fui à farmácia para me darem um para cicatrizar a senhora disse-me que para usar um cicatrizante não posso amamentar :S

    ResponderEliminar
  3. Na farmácia disseram que podia usar. A única coisa é que, ao contrario do Purelan, temos de lavar bem o peito antes de dar mama ao bebe.

    ResponderEliminar
  4. A amamentação ao inicio tb me foi dificil. Gretas (usei gretalvite e o purelan tb), mastite (antibiotico 12 dias sem poder amamentar) e montes de tretas. Mas insisti e jurei a mim mesma que não ia ouvir bitaites. Pus na minha cabeça que o meu leite era bom independentemente do que dissessem da cor, espessura, tamanho das mamas, etc... Que se ela não queria mais era porque estava cheia e se quisesse pedia nem que fosse dali a meia hora, ou seja, andar sempre com a mama disponível sem horários. E resultou! Por isso é uma questão de persistência! Beijinhos e boa sorte!

    ResponderEliminar