quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Desabafo

Hoje foi um dia particularmente deprimente. Muito em parte por causa das hormonas que andam aos saltos e sem duvida que foi deprimente mas ao mesmo tempo positivo. Passo a explicar (se conseguir).
Eu sou de Coimbra, mas estou a viver com o namorido no Entroncamento e é lá que temos o nosso cantinho. Quando engravidei ainda pensei ser seguida por lá, mas o hospital mais próximo com obstetrícia fica a uns 35km de casa. Já para não falar que ainda corria o risco de no trabalho ser transferida e ter de mudar de medico para mim e para o Tomás este ano. (não aconteceu). Por isso decidi ser seguida em Coimbra, onde sei que há fantásticos profissionais da área e estava em casa. :)
Tenho feito todas as consultas por aqui e gostava muito que o Tomás nascesse em Coimbra. O que ficou decidido é que no mês de Janeiro me transferia de "malas e bagagem" para Coimbra para casa dos pais para estar perto da maternidade e por ter os meus papas perto.
Hoje foi o dia. E nem queiram saber o quanto me custou deixar o meu cantinho. Pensar que a próxima vez que lá voltar entro com um novo habitante.
Foi como se me "batesse" naquele momento que a minha vida ia mudar, que tudo ia ser diferente da próxima vez que entrasse ali. E com isto vieram todas as duvidas. Será que vou ser boa mãe? será que estou preparada para deixar de ser eu a prioridade? Será? muitos serás...
E logo a seguir aos serás... veio o medo. O medo do parto, o medo de o Tomás vir com algum problema. O medo de o namorido não conseguir estar comigo no parto. O medo e mais medo.
Quando fechei a porta de casa, com as lágrimas a escorrerem pelos olhos deparei-me com a realidade que chegou até a mim a correr... aconteça o que acontecer, quando voltar a entrar naquela casa a minha vida já não é o que era!
Enfim... conclusão disto tudo? As hormonas são tramadas, o tempo da gravidez passou a correr e eu estou cheia de medo do parto e de não vir a ser uma boa mãe.
Agora mais calma, em casa com os mnimos dos papas... consigo pensar nesses medos e aceita-los sem me consumir. Espero que assim continue.
 Deixo-vos aqui a musica que tanto me tem feito bem este inicio de ano, pois nestes momentos mais nervosos tem o poder me acalmar! :))



4 comentários:

  1. Há dias que tb fico assim...cheia de dúvidas e medos! :S

    ResponderEliminar
  2. Xana querida, é normal sentires-te assim mas tens que confiar mais em ti, pois para além de tu e o teu marido com a vinda do Tomás tu vais ter o papel mais importante e não tenhas medo de falhar em algo, acredita que após os nossos filhos nascerem os falhanços são constantes, uns piores que os outros, espaçados por dias ou até meses, nada é pefeito, não nascemos mães, e mesmo após os nossos bebés nascerem aos poucos é que vamos descobrindo esse novo mundo, essa nova forma de viver, porque acredita que quase tudo muda, pelo menos as prioridades. Nunca temi o parto, tens que encará-lo como o processo de conclusão da gravidez, tal como a amamentação, é tudo um ciclo, gerar, parir, alimentar, criar... quando chegar a hora vais saber. Eu nunca tinha engravidado e entrado em trabalho de parto e soube quando era a hora. Confia no teu corpo, em ti e na vossa família, parir será apenas um dos muito medos que irás sentir a partir do momento que és mãe e por teres essas inseguraças estás a manifestar interesse em ser uma boa mãe. Quando começares as sentir contracções que te impedem de mexer e que se repetem uma atrás das outras conta a sua duração com o cronómetro e depois conta o espaçamento entre elas, ao te centrares nisso acredita que te irás sentir controlada no trabalho de parto e fiz uma folha e tenho pena de ter perdido, nela tinha os segundos de duração e espaçamento entre elas e apenas quando decidi ir para o hospital é que parei de anotar porque já sabia que daquele dia não passava sem ter o G nos braços. Ainda falta um bocado para o Tomás nascer, se ele for como o meu G ainda faltam umas 4 semanas e como eu sei a ansiedade pelo dia D chegar. O Gaspar nasceu na véspera das 40 semanas e eu sempre acreditanto que às 38 já ele estaria cá fora... Um beijinho muito muito grande e um abraço maior ainda para voçês

    ResponderEliminar
  3. Então Xana? como vais, ou melhor, vão? Ainda com o Tomás na barriguinha, espero ! Um beijinho grande e vai dando notícias por aqui ;o)

    ResponderEliminar